Apple elimina o fone de ouvido no novo iPhone 7. Será prejudicial à saúde ?

By Ben Tinker, CNN – Updated 0959 GMT (1759 HKT) September 8, 2016 – Adaptação por Eugénio Lopes Eng.Eletrotécnico. ISEP

O novo iPhone da Apple 7 vai abandonar o fone de ouvido, anunciou o vice-presidente sênior de marketing Phil Schiller nesta quarta feira dia 8 de setembro no evento de abertura da empresa em San Francisco.

Muitos amantes de tecnologias estão salientando as vantagens positivas desta mudança nos telefones celulares: melhor qualidade de som, um design mais fino e resistência à água superior, para citar alguns. Mas os novos AirPods sem fio (que estarão disponíveis para compra como um acessório Premium) vão efetivamente colocar transceptores de rádio em seus ouvidos, uma decisão que pode afetar sua saúde.

“Eu acho lamentável, porque a própria Apple reconhece nas instruções em letra pequenina – e muitas vezes escondidas – que você precisa manter os telefones celulares afastados do ouvido, e a maioria das pessoas não têm conhecimento disso”,  diz o Dr. Anthony Miller, assessor do Health Trust Ambiental, um grupo ativista que estuda a radiação dos telefones celulares.

A maioria das pessoas fala em seus celulares mantendo-os em contato direto com seus ouvidos, e a Apple faz advertências a respeito dos efeitos da exposição à radiofrequência (RF) em seus livros de instruções que acompanham os aparelhos. Só que o faz de uma maneira ardilosa. Ou tem que se procurar no site da empresa ou procurar nas instruções, e para isso tem que acessar no seu iOS: Configurações ->  Geral -> Sobre -> Legal -> Exposição RF.

No penúltimo iPhone 6, a Apple recomenda: “Para reduzir a exposição à energia de RF, use a opção de mãos-livres ou viva-voz, os auscultadores fornecidos ou outros acessórios semelhantes. Mantenha o iPhone pelo menos, 5 milímetros de distância do seu corpo para garantir que os níveis de exposição permanecerão abaixo dos níveis testados”.

Os novos auscultadores sem fios do iPhone 7, na verdade, aumentam a distância entre o seu celular e sua cabeça, mas na realidade, estão apenas substituindo um dispositivo transmissor de rádio por outro. Em todas as compras dos novos iPhone 7 e iPhone 7 Plus, a Apple diz que  incluem um adaptador para os consumidores que desejem continuar usando seus fones de ouvido com fio (3.5mm) existentes. Mas, para muitos usuários esta dependência de adaptador vai servir como um estímulo para fazer a troca pelos AirPod’s que usam tecnologia Bluetooth.

Em 2011, a Organização Mundial de Saúde classificou os campos eletromagnéticos de radiofrequência como possivelmente cancerígeno para os seres humanos, com base em um risco aumentado de contrair glioma, um tipo maligno de câncer cerebral associado ao uso de telefones sem fio.

“O maior problema é que sabemos que a maioria dos fatores ambientais demora várias décadas de exposição antes de realmente serem sentidas as suas consequências,” declarou o Dr. Keith Black, presidente do departamento de neurocirurgia no Cedars-Sinai Medical Center em Los Angeles, quando a CNN deu a notícia.

“O que a radiação de micro-ondas faz, em termos mais simplistas, é semelhante ao que acontece aos alimentos em um forno de micro-ondas, literalmente, cozinham o cérebro”, disse o Dr. Black. “Assim, além do desenvolvimento de câncer e tumores, poderia haver toda uma série de outros efeitos sobre a função de memória cognitiva, uma vez que são junto aos lobos temporais onde usamos normalmente os nossos telefones celulares.”

Em maio, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS) dos EUA divulgou um relatório parcial, com base em experiências em ratos e ratinhos, sobre os riscos potenciais para a saúde da radiação de radiofrequência de telefone celular.

Embora a CNN normalmente não informe sobre estudos com animais, porque os resultados muitas vezes não se verificam em seres humanos, esses tumores raros, malignos e agressivos que ocorrem em ratos machos são os mesmos tumores encontrados em estudos epidemiológicos em seres humanos que usam telefones celulares por longos períodos de tempo.

“A razão pela qual o HHS divulgou um relatório parcial foi porque um cientista líder do estudo compreendeu quão extraordinariamente importante esses resultados eram”, disse a Dr. Devra Davis, fundadora e presidente da Environment Health Trust. “Não há nenhuma outra substância testada no Programa Nacional de Toxicologia  que dê resultados como estes. HHS diz que os resultados completos de todos os estudos realizados em ratos e camundongos estarão disponíveis para revisão de pares e comentários do público até o final de 2017.

Por enquanto, a Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos diz: “Se houver um risco de exposição à energia das radiofrequências (RF) de telefones celulares – e, neste ponto, não sabemos que existe – é, provavelmente, muito pequeno.” Ainda assim, se você está preocupado com a sua exposição, o FDA recomenda a redução da quantidade de tempo gasto usando seu telefone celular, bem como usar a função viva-voz ou um fone de ouvido com fio para maximizar a distância entre a sua cabeça e seu telefone celular.

“Meu entendimento é que as atuais gerações de telefones contêm tecnologia mais sofisticada  indicando quando o telefone é usado ao lado da cabeça e automaticamente coloca o telefone em uma potência mais baixa, a fim de tanto poupar a vida da bateria e reduzir a exposição do cérebro ou do corpo, o que indicaria um reconhecimento da necessidade de reduzir a exposição diretamente sobre as pessoas “, disse Davis.

CTIA, a organização sem fins lucrativos que representa a indústria wireless, contesta fortemente a ideia de que a energia de RF afete negativamente a saúde dos utilizadores de celulares. “O consenso científico, com base em evidências cientificas revisada por pares nos EUA e outros países, indica que dispositivos sem fio não representam riscos para a saúde pública para adultos ou crianças.”

É, no entanto, aconselham “aqueles com preocupações… para colocar mais distância entre seu corpo e a fonte de RF, tais como a utilização de um dispositivo mãos-livres ou reduzir o seu tempo de conversação”.

 

“Com os telefones de hoje, estamos como estávamos com os carros nos anos 60”, afirma a Drª. Devra Davis. “Algumas pessoas diziam que precisávamos de cintos de segurança e airbags… e agora todos concordam que precisamos mesmo.”

2 comentários sobre “Apple elimina o fone de ouvido no novo iPhone 7. Será prejudicial à saúde ?

  1. Fala-se em phones de “tubo de ar” como alternativa, mas são muito difíceis de encontrar no Brasil.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s